Fitoativos, dia-a-dia e vida moderna

Fitoativos, dia-a-dia e vida moderna

Os fitoativos têm atraído grande interesse do público e dos profissionais de saúde. A diversidade e capacidade de exercerem ações benéficas, em múltiplos alvos do organismo, tem feito deles opções para os “males da vida moderna” ou doenças causadas pelo estresse.

Dia-a-dia

Nosso dia-a-dia e as exigências cotidianas passam por grandes transformações que podem ser vistos sob diferentes pontos de vista em relação à saúde.

Pode haver uma contribuição positiva, pelo acesso a novas tecnologias para diagnóstico e tratamento. Por outro lado, tamanha evolução e mudanças de comportamentos trazem alguns “confortos”, que levam ao sedentarismo e a outros hábitos de vida inadequados, tais como:

  • Ingesta de bebidas alcoólicas;
  • Fumo;
  • Alimentação irregular e rica em gorduras e açúcares.

De forma equivocada, é valorizada a “facilidade do desembalar e comer”.

Sedentarismo

O sedentarismo vai se consolidando com afirmações do tipo – “para que ir a pé ao supermercado, se posso ir de carro com ar condicionado?”.

O tabagismo, hipertensão arterial, hipercolesterolemia e sedentarismo são fatores de risco primários e de maior importância para as doenças crônicas não transmissíveis, especialmente as cardiovasculares e metabólicas (aterosclerose, diabetes e obesidade).

Estresse

O estresse é um companheiro constante da vida moderna e além do cansaço e fadiga, promove alterações físicas e psicológicas que podem levar a doenças e incapacidade por exaustão.

Adaptógenos como opção de tratamento

Os “adaptógenos” possuem a capacidade de melhorar a adaptação do organismo aos fatores estressores diários, evitando os sintomas indesejados e a fadiga e promovendo uma melhora clínica geral e da disposição do indivíduo.

Como um dos exemplos mais tradicionais, destaca-se o Panax gingeng (ginseng coreano), que popularmente tem a indicação de tônico ou afrodisíaco.

O termo “tônico” denota um fitoativo que fortalece o organismo, mas podemos traduzir esta capacidade como adaptógena, relacionados ao controle dos níveis de cortisol e imunomodulação.

Há também outros exemplos de “adaptógenos”, como:

Ganoderma lucidum (cogumelo reishi);

Astragalus membrancaceus;

Polygonum multiflorum (FoTi).

Sendo este último utilizado também com finalidade estética, para o fortalecimento e escurecimento dos cabelos brancos.

Mudança de hábitos

Para alcançarmos a longevidade com qualidade de vida, é necessária uma mudança de hábitos que se materializam a partir de nossa disciplina pessoal e do acompanhamento dos profissionais de saúde.

Os fitoativos são aliados eficazes e constituem um diferencial importante dentro de todo o conjunto de medidas que valorizam e beneficiam a nossa saúde.

Muitos sintomas e doenças que apresentamos são consequência direta do estresse, que também podem ser prevenidos e tratados com fitoativos. Vejam alguns exemplos:

 

  • Camomila (Matricaria chamomilla) e Melissa (Melissa officinalis) são eficazes contra a ansiedade e outros sintomas que acompanham esta manifestação, como a dor, gastrites, compulsão alimentar e por doces e sintomas cardiovasculares, pois a taquicardia é comum nos indivíduos ansiosos e estressados;

 

  • Espinheira santa (Maytenus ilicifolia) e Guaçatonga (Casearia sylvestris) são plantas brasileiras e úteis para tratamento de úlceras gástricas e gastrites, atuando como citoproptetoras e antisecretoras de ácido clorídrico no estômago;

 

  • Opuntia (Opuntia ficus indica) e Cavalinha (Equiseteum arvense) são diuréticas e reduzem a retenção hídrica. Isso pode ocorrer em função da baixa atividade física (“trabalhar sentado o dia inteiro”) ou, especialmente nas mulheres, por causa das oscilações hormonais e ciclo menstrual. Além da sensação de bem-estar, podem baixar a pressão arterial e melhorar o aspecto da celulite;

 

  • Alcachofra (Cynara scolymus) é protetora do fígado e funciona muito bem na redução do colesterol ruim (LDL) no sangue, auxiliando na prevenção da aterosclerose;

 

  • A utilização de fitoativos antioxidantes é benéfica, pois combate os danos causados por radicais livres, que atuam como grandes “vilões” nas células. Vitis vinifera (semente de uva) e Aristolochia chilensis (Maquiberry) reduzem os danos celulares causados pelo estresse oxidativo, envolvidos em tantas doenças, como inflamações, diabetes e aterosclerose.

 

Aproveitem os benefícios dos fitoativos, adotando hábitos de vida mais saudáveis!

Melhorando a forma de lidar com a correria do dia-a-dia, reduzindo os sintomas e riscos do estresse sobre a saúde!

Consultem sempre um profissional de saúde de confiança!

Até aproxima e #fitoative_se sempre!!!

Dra. Patrícia Corrêa Dias

Mestre em farmacologia e doutora em clínica médica. Coordenadora do curso de Farmácia da UNIMEP.

Instagram: @patriciacorread

 

 

Voltar