Fitoativos no controle da ansiedade

Vida moderna!

Ritmo acelerado, preocupações diversas e agenda cheia de compromissos são situações comuns na atualidade. Muitas vezes, as atividades são sobrepostas e acumuladas, causando ansiedade, tensão e até mesmo doenças mais graves, que levam ao afastamento do trabalho e a danos mais significativos à saúde e que podem deixar sequelas.

O termo “ansiedade” passou a ser utilizado de forma rotineira e repetida em nosso dia-a-dia. É sinônimo de nervosismo, mal-estar, tensão, impaciência e medo, frente a situações diversas que podem nos colocar em risco. A ansiedade ocorre por medo, por aguardar uma data importante, pelo excesso de tarefas e o curto prazo, pelas dificuldades nos relacionamentos afetivos e por diversos outros motivos.

Mas, afinal o que é “ansiedade”?

Trata-se de um sentimento natural do ser humano. Sentimentos de apreensão ou desconforto frente a situações novas e que podem gerar algum tipo de ameaça. A ansiedade normal é um sentimento positivo, desde que seja motivadora e que nos impulsione e estimule a tomar atitudes para resolver os problemas e encontrar soluções benéficas individuais ou coletivas.

Entretanto, quando este sentimento de apreensão é aumentado, a ponto de paralisar nossas ações proativas e de produzir sintomas físicos e psicológicos desagradáveis, pode-se entender que um processo patológico está se instalando e deve ser devidamente tratado, evitando até mesmo que sejam estabelecidos, efetivamente, distúrbios como o transtorno de ansiedade generalizada (TAG) ou em situações mais graves, a síndrome do pânico.

Portanto, é preciso diferenciar os estados de ansiedade. Os que vivenciamos como parte do cotidiano dos distúrbios de ansiedade estabelecidos como patologia.

Nas manifestações psicológicas, há a tensão nervosa, medo exacerbado e fobias específicas para situações que em princípios não são reais. Há um sofrimento antecipatório frente à possibilidade de vivenciar situações, que talvez nem se concretizem. Há também os sintomas físicos: insônia, as dores tensionais (cefaleias e torcicolos), tonturas, gastrites (hipersecreção ácida gástrica e desproteção da mucosa gástrica), elevação da pressão arterial e palpitações.

É importante destacar também que a ansiedade é um fator de destaque como predisponente para a compulsão alimentar, especialmente relacionada à elevada ingesta de alimentos calóricos e ricos em açúcares e gorduras. A sensação de prazer dada pelo alimento pode, equivocadamente, reduzir a sensação de ansiedade.

Os fitoativos ansiolíticos podem ser muito úteis e muitos deles possuem suas indicações baseadas nas informações de uso popular e que foram trabalhadas e validadas pela ciência por meio da experimentação clínica.

Com base na medicina tradicional, você pode utilizar, por exemplo, a camomila e a melissa associadas. Sejam como infusões, ou de forma mais racionalizada na forma de medicamento fitoterápico:

Matricara chamomilla (camomila) 1,2% apigenina ———————- 250 mg

Melissa officinalis (melissa) 5% ácido rosmarínico ———————- 500 mg

Tomar uma dose, duas vezes ao dia.

 

Uma outra associação ansiolítica bastante eficaz inclui o uso do extrato de maracujá. Ele é uma das plantas de maior identidade como ansiolítica em nosso meio:

Passiflora incarnata(maracujá) 2% vitexina —————————- 600 mg

Erythrina mulungu 4:1 ——————————————————- 200 mg

Tomar uma dose, duas vezes ao dia.

Se o objetivo principal do tratamento ansiolítico for o controle da compulsão alimentar, tomar entre 30 e 60 minutos antes das principais refeições.

 

Uma outra linha terapêutica envolve a associação de fitoativos ansiolíticos com os adaptógenos. Eles são capazes de promover uma melhora clínica geral no organismo, por funcionarem como ativos que melhoram a resistência não específica do organismo contra os fatores que geram estresse. São múltiplas as suas ações e indicações, mas destaca-se a atuação destes fitoativos sobre a regulação do eixo hipotálamo-hipófise-adrenal, modulando os níveis de cortisol (substância produzida nas glândulas supra-renais em maior quantidade, devido ao estresse), além da modulação do sistema imunológico. O estresse e a ansiedade caminham juntos e podem ter influência sobre o rebaixamento da imunidade e favorecer ao aparecimento de doenças infecciosas, como resfriados.

Veja esta associação:

Ganoderma lucidum 10% polissacrídeos ——————————- 300 mg

Astragalus membranaceus 70% polissacarídeos ——————– 100 mg

Magnolia officinalis 2,7% honokiol ————————————- 50 mg

Tomar uma dose, duas vezes ao dia.

Aproveite os benefícios dos fitoativos no combate à ansiedade e não se esqueça de consultar sempre um profissional de confiança!

 

Até a próxima e Fitoative-se!

Dra. Patrícia Corrêa Dias

Mestre em farmacologia e doutora em clínica médica. Coordenadora do curso de Farmácia da UNIMEP.

Instagram: @patriciacorread

 

 

Voltar